domingo, 14 de dezembro de 2014

21 Questões de Concursos com gabarito - Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire

Questão 01.  Prova: Concurso Público Municipal para provimento de cargos efetivos da Fundação da Criança e do Adolescente de Araxá/MG - 2012

Segundo Paulo Freire, em “Pedagogia da Autonomia”, no que diz respeito aos saberes necessários à prática educativa, assinale a alternativa que apresenta afirmação INCORRETA:
a) Ensinar é uma especificidade humana.
b) Ensinar é transferir conhecimento.
c) Ensinar exige pesquisa.
d) Ensinar exige reflexão crítica sobre a prática.

Questão 02. Prova: COTEC/2014  - Prefeitura de Fruta de Leite - MG
Segundo Paulo Freire, em seu texto Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa, “não posso ser Professor sem me achar capacitado para ensinar certo e bem os conteúdos de minha disciplina,mas não posso, por outro lado, reduzir minha prática docente ao puro ensino daqueles conteúdos.” Com essa afirmação, o autor defende
A) a discussão indisciplinada em sala de aula.
B) o testemunho ético, a coerência entre o que o professor diz, o que escreve, o que ensina e o que faz.
C) o desdenho e a humildade da prática docente.
D) o autoritarismo do professor para legitimar sua ação.

Questão 03. Prova: Instituto Federal do Rio de Janeiro – IFRJ 2011 - Cargo: Técnico em Assuntos Educacionais
Em Pedagogia da Autonomia, Paulo Freire lista uma série de “exigências” inerentes ao ato de ensinar. Uma delas afirma que “Ensinar exige curiosidade”.Sobre essa exigência, é CORRETO afirmar que
(A) se há uma prática exemplar como negação da experiência formadora é a que dificulta ou inibe a curiosidade do educando e, em consequência, a do educador.
(B) a memorização mecânica do perfil do objeto é o aprendizado verdadeiro do objeto ou do conteúdo.
(C) um docente consciente do seu papel no processo educativo prioriza o ensino dos conteúdos que são úteis para as etapas escolares seguintes.
(D) a atividade docente para ser dialógica deve estar centrada unicamente na promoção da curiosidade dos educandos.

Questão 04. Prova: Mestrado profissional de ensino na saúde - UFAL 2014
.Em seu livro “Pedagogia da Autonomia” Paulo Freire afirma que
A) Ensinar exige criticidade, por isso o senso comum não deve ser considerado no processo educativo.
B) O rigor metodológico necessário à pesquisa exige intervenção e por isso não faz parte do ensino. C) A pesquisa, por necessitar de formação específica, nem sempre deve ser parte do ensino.
D) Não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino porque faz parte da natureza da prática docente a indagação, a busca, a pesquisa.
E) No ensino, há que se provocar o rompimento com a discussão da realidade concreta e a consideração do senso comum para que haja o respeito à ciência.

Questão 05. Prova: Mestrado profissional de ensino na saúde - UFAL 2014
O livro “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire, aborda uma temática recorrente e central no pensamento desse educador, a qual constitui-se como uma de suas grandes preocupações como educador e como objeto de suas análises e proposições. Tal temática diz respeito
A) Aos saberes que educadores devem desenvolver para se tornarem auto-reflexivos e justos.
B) Aos saberes que os educandos devem desenvolver para se tornarem autônomos, críticos e livres.
C) Aos saberes que educandos e educadores devem desenvolver para criarem uma sociedade justa e democrática.
D) À questão dos currículos escolares que devem enfatizar o desenvolvimento dos educandos de forma crítica e reflexiva.
E) À questão da formação do professor, associada à reflexão sobre a prática educativa na perspectiva progressista em defesa da autonomia dos educandos.

Questão 06. Prova: Mestrado profissional de ensino na saúde - UFAL 2014
.Em “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, Paulo Freire diz: “é não só interessante mas profundamente importante que os estudantes percebam as diferenças de compreensão dos fatos; as posições às vezes antagônicas entre professores na apreciação dos problemas e no equacionamento de soluções. Mas é fundamental que percebam o respeito e a lealdade com que um professor analisa e critica as posturas dos outros”. Nessa passagem, Paulo Freire está se referindo 
A) À dimensão cultural e social presentes no ambiente pedagógico e escolar. 
B) À natureza ética da prática educativa, como prática eminentemente humana. 
C) À reflexão que se deve ter na apreciação dos problemas e tomada de decisões. 
D) À aceitação das diferenças como um imperativo da prática pedagógica crítica e reflexiva. 
E) Aos aspectos afetivos e emocionais das relações entre os sujeitos envolvidos na prática educativa.

Questão 07. Prova: Prefeitura de Beberibe - CCV 2012 - Cargo: Psicopedagogo
“O educador democrático não pode negar-se o dever de, na sua prática docente, reforçar a capacidade crítica do educando, sua curiosidade, sua insubmissão. Uma de suas tarefas primordiais é trabalhar com os educandos a rigorosidade metódica com que devem se “aproximar” dos objetos cognoscíveis. E esta rigorosidade metódica não tem nada que ver com o discurso “bancário” meramente transferidor do perfil do objeto ou do conteúdo”. (FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Paz e Terra:1996, p. 26). Nesse sentido, a função da escola é transformar o educando possibilitando-lhe aprender criticamente, porque:
A) faz parte das condições em que ensinar é simplesmente transferir conhecimentos a educandos.
B) o educador é aquele que sabe. Cabe a ele dar, entregar e transferir seus conhecimentos aos alunos.
C) quem ensina deve ter competência e dominar todos os saberes e quem aprende é objeto de quem ensina.
D) nessas condições, é necessário que os educadores e educandos sejam sujeitos criadores, instigadores,inquietos e ajam com rigor e persistência. Desse modo, aprender é um contínuo permanente em que educadores e educandos experimentam a produção de novos saberes.
E) é possível se tornar um leitor crítico da realidade, a partir dos ensinamentos dos professores, porque o aluno memorizador fala de seus conhecimentos como se estivesse recitando de suas memórias aquilo que aprendeu, isto é, repete o que ouviu do professor, mas raramente ensaia algo pessoal

Questão 08. Prova: FAC-FEA/2012
Para Paulo Freire, as questões e problemas principais da educação não são questões pedagógicas, ao contrário, são questões políticas. Para ele, a educação e o sistema de ensino não modificam a sociedade, mas a sociedade é que pode mudar o sistema instrucional. O sistema educacional pode ter um papel de destaque numa revolução cultural. Ele chama de revolução a consciente participação do povo. Logo, a pedagogia crítica, como uma constante, contribui para revelar a ideologia esquecida na consciência das pessoas.
I. A proposta de Paulo Freire, em termos educacionais, é uma proposta antiautoritária, na qual professores e alunos, ensinar e aprender fazem parte de um único processo; na qual, engajados num diálogo permanente, professores e alunos aprendem e ensinam.
II. Em sua obra Pedagogia da Autonomia, Freire critica o ensino “bancário”, pois acha que a criatividade do aluno e professor são deformadas.
III. Freire defende que o professor deve não apenas transmitir conteúdos, mas também ensinar a “pensar certo”, a criticar o que ler, a pesquisar, a ser curioso e, acima de tudo, respeitar os saberes do aluno.
IV. As propostas de Freire foram feitas para serem recriadas, conforme o cotidiano, o imaginário, os interesses e os valores, conforme as condições de vida de seu praticante, seja educando ou educador.
Está(ão) incorreta(s)
a) todas.
b) apenas I, II e IV.
c) apenas I, III, e IV.

d) nenhuma.

Questão 09Prova: FAC-FEA/2012
“Não há docência sem discência, as duas se explicam e seus sujeitos apesar das diferenças que os conotam, não se reduzem à condição de objeto um do outro. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. Por isso, do ponto de vista gramatical, o verbo ensinar é um verbo transitivo-relativo. Verbo que pede um objeto direto – alguma coisa – e um objeto indireto – a alguém” (FREIRE, Pedagogia da Autonomia, 2005). Assim, é correto afirmar que 
I – no estudo o autor se atém ao uso do verbo. 
II – o autor afirma que ensinar inexiste sem aprender e vice-versa. 
III – o autor afirma que o ato de ensinar se dilui na forma de aprender. 
a) I, apenas 
b) I e II, apenas. 
c) I, II e III. 
d) II e III, apenas.

Questão 10. Prova: Professor– Filosofia - 2014 - Prefeitura de Porto Alegre
Analise as afirmações abaixo sobre autoridade do professor, considerando o livro Pedagogia da Autonomia de Paulo Freire (1996). 
I. O autoritarismo é a ruptura em favor da autoridade contra a liberdade na tensão entre liberdade e autoridade. 
II. É fundamental, enquanto aluno ou aluna, focar-me somente nos conteúdos programáticos para evitar repetir as posturas autoritárias de meus professores. III. Somente a competência científica funda a segurança e a qualidade da autoridade docente. Quais estão corretas? 
a) Apenas I. 
b) Apenas II. 
c) Apenas III. 
d) Apenas I e II. 
e) Apenas II e III.

Texto para as questões de 11 a 13 -  UnB/CESPE – SESI/SP 2008 - Prova: Analista Pedagógico – Alfabetização Intensiva – Educação de Jovens e Adultos
A questão da formação docente, ao lado da reflexão sobre a prática educativo-progressista em favor da autonomia do ser dos educadores, é a temática central em torno da qual gira este texto. É também temática a que se incorpora a análise de saberes fundamentais àquela prática e aos quais espero que o leitor crítico acrescente alguns que me tenham escapado ou cuja importância não tenha percebido. Paulo Freire. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996, p. 13 (com adaptações).

Questão 11. Prova: UnB/CESPE – SESI/SP 2008 - Prova: Analista Pedagógico – Alfabetização Intensiva – Educação de Jovens e Adultos
De acordo com o pensamento predominante no texto, o ato de ensinar exige 
I rigorosidade metódica, pesquisa e criticidade. 
II respeito aos saberes dos educandos, estética e ética. 
III corporificação das palavras pelo exemplo. 
IV risco, aceitação do novo e rejeição a qualquer forma de discriminação. A quantidade de itens certos é igual a 
a) 1. 
b) 2. 
c) 3. 
d) 4.

Questão 12. Prova: UnB/CESPE – SESI/SP 2008 - Prova: Analista Pedagógico – Alfabetização Intensiva – Educação de Jovens e Adultos
Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para sua própria produção ou sua própria construção, o que exige que o professor pense certo. Com relação aos pressupostos filosóficos subjacentes a essa afirmativa e ao texto, assinale a opção correta. 
a) Pensar certo é uma postura exigente, difícil e penosa que o professor tem de assumir diante dos outros e com os outros, em face do mundo e dos fatos. 
b) Pensar certo é ter a certeza de que todas as ações humanas estão predeterminadas pelo destino, que a interferência do indivíduo pouco mudará a realidade. 
c) Pensar certo é agir com espontaneidade, a ponto de todas as ações serem pautadas pelo espontaneísmo. 
d) Pensar certo é fácil, pouco exigente e complementa a atitude autoritária do professor, que cada vez menos necessita da rigorosidade metódica.

Questão 13. Prova: UnB/CESPE – SESI/SP 2008 - Prova: Analista Pedagógico – Alfabetização Intensiva – Educação de Jovens e Adultos
A partir do saber fundamental “mudar é difícil, mas é possível” é que se deve programar a ação político-pedagógica. Com base nesse pressuposto e considerando, ainda, o texto de Paulo Freire, assinale a opção correta. 
a) O educador deve assumir uma postura neutra diante do real, pois a função da educação é estudar e constatar a realidade, para compreendê-la e admirá-la como obra da construção humana. 
b) O educador deve tomar consciência de que não é apenas objeto da história, mas também sujeito. No mundo da história, da cultura e da política, deve constatar a realidade não para se acomodar, mas para mudar. 
c) Para que se possa transformar o mundo por meio da educação é preciso pregar a rebelião e instigar a revolta nas camadas populares, pelo fato de estas serem profundamente injustiçadas. 
d) O educador deve respeitar o saber dos grupos com que trabalha. Porém, não pode permitir que estes predominem, por ter consciência de que aquilo que pensa, em face de sua formação, é melhor para o grupo.

Questão 14. Prova: Teste Seletivo da Prefeitura Municipal de Fortaleza dos Nogueiras - MA / Instituto Machado De Assis
Paulo Freire no livro Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa fala da esperança e do otimismo necessários para mudanças e da necessidade de nunca se acomodar, pois "somos seres condicionados, mas não determinados". Destaca a necessidade de uma reflexão crítica sobre a prática educativa, pois sem ela a teoria pode ir virando apenas discurso. NÃO condiz com as ideias do autor 
a) Ensinar exige risco, aceitação do novo e rejeição a qualquer forma de discriminação. 
b) Ensinar é transferir conhecimentos criando as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção. Ensinar exige consciência do inacabamento .
c) Ensinar exige pesquisa. 
d) Ensinar exige a corporeificação das palavras pelo exemplo. 
e) Ensinar exige o reconhecimento e a assunção da identidade cultural.

Questão 15. Prova: Idecan 2014 - Processo Seletivo de Itapeva/SP
Paulo Freire (2011), em sua obra “Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa”, faz várias reflexões sobre a prática educativa. São afirmativas que confirmam a reflexão do autor, EXCETO:
A) O discurso deve ser o exemplo concreto, prático da teoria.
B) O professor deve criar possibilidades para a construção do conhecimento do aluno.
C) É pensando criticamente a prática de ontem que se pode melhorar a próxima prática.
D) A prática docente envolve o movimento dinâmico, entre o fazer e o pensar sobre o fazer.
E) O educador deve desconsiderar a leitura de mundo que os educandos fazem e se ater à leitura da palavra.

Questão 16. Prova: Teste Seletivo a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa - PR Professor de Ensino Fundamental
Em “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa” Freire (1997), destaca que “quando vivemos a autenticidade exigida pela prática de ensinar-aprender participamos de uma experiência total, diretiva, política, ideológica, gnosiológica, pedagógica, estética e ética, em que a boniteza deve achar-se de mãos dadas com a decência e com a seriedade” (p.26). Nesta perspectiva, MARQUE V OU F para as afirmativas que seguem sobre o educador progressista. Ensinar exige:
( ) rigorosidade metódica 
( ) respeito aos saberes dos educandos 
( ) opor-se à gnosiologia 
( ) criticidade 
( ) estética e ética 
( ) risco, aceitação do novo 
( ) indisponibilidade ao risco 
( ) reflexão crítica sobre a prática 
( ) o reconhecimento e a assunção da identidade cultural 
( ) priorização de determinadas identidades culturais A alternativa correta é: 
a). (F), (V), (F ), (V), (V), (V), (F), (V), (F), (F). 
b). (F), (F), (V), (F), (V), (F), (F), (V), (V), (V). 
c). (V), (F), (F ), (V), (F), (V), (V), (V), (V), (F). 
d). (V), (V), (F ), (V), (V), (V), (F), (V), (V), (F). 
e). (F), (V), (F ), (F), (V), (V), (V), (V), (V), (V).

Questão 17. Prova: cargo de Técnicos em Assuntos Educacionais-Alfenas - Unifal 2012
[...] Não somos apenas objeto da História, mas seus sujeitos igualmente. A partir deste saber fundamental: mudar é difícil, mas é possível, que vamos programar nossa ação políticopedagógico. (FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e terra, 1997, p. 89). Analisando a formação docente, a partir de um contexto de práxis, na perspectiva da construção de novos conhecimentos, que não se limitam ao momento da formação inicial, mas, principalmente, estende-se por todo o percurso profissional do professor, podemos assim dizer que a tríade: formador, formando e conhecimento se faz mediante uma relação dialética, sendo esta uma característica necessária à realização da práxis. Nesse sentido, na visão freireana, o ato de ensinar descontextualizado da práxis não transforma. Em razão disso, a Proposta Curricular considera que, no processo de ensino-aprendizagem, é necessário que se estabeleçam relações legítimas entre teoria e prática. Assinale a alternativa que corresponde a esse ponto de vista: 
a) As práticas docentes devem direcionar-se primeiramente para a teoria. Consciente da teoria, o aluno terá condições de ser exposto às práticas de ensino-aprendizagem. 
b) O professor deve concentrar todas as suas energias nas práticas de ensino. A depender da turma, pode abordar conteúdos teóricos relacionados diretamente à realidade do aluno. 
c) Teoria e prática são dimensões de um mesmo processo de ação-reflexão-ação, que, ao articular conteúdos curriculares, competências e habilidades, contextualiza significativamente o saber. 
d) Os conteúdos curriculares significativos correspondem à dimensão teórica do ensino, enquanto que as competências e as habilidades constituem aspectos metodológicos práticos. 
e) Teoricamente, objetivos de aprendizagem e situações de aprendizagem são sinônimos, tanto quanto são sinônimos, na prática, competência e sequências didáticas significativas.

Questão 18. Prova: FUMARC/2009 - Prefeitura Municipal de Governador Valadares
Leia atentamente o trecho extraído do livro “Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários a prática educativa”:

O ato de cozinhar, por exemplo, supõe alguns saberes concernentes ao uso do fogão, como acendê-lo, como equilibrar para mais, para menos, a chama, como lidar com certos riscos mesmo remotos de incêndio, como harmonizar os diferentes temperos numa síntese gostosa e atraente. A prática de cozinhar vai preparando o novato, ratificando alguns daqueles saberes, retificando outros, e vai possibilitando que ele vire cozinheiro. A prática de velejar coloca a necessidade de saberes fundantes, como o do domínio do barco, das partes que o compõem e da função de cada uma delas, como o conhecimento dos ventos, de sua força, de sua direção, os ventos e as velas, a posição das velas, o papel do motor e da combinação entre motor e velas. Na prática de velejar se confirmam, se modificam ou se ampliam esses saberes. FREIRE, 2000, p.23 e 24
O texto acima permite analisar que: 
a) Ensinar é um processo que pode tornar o aprendiz mais e mais criador. Quanto mais criticamente se exerça a capacidade de aprender, mais se constrói e se desenvolve o que pode ser chamado de “curiosidade epistemológica” 
b) Existe uma relação entre o ato de ensinar e a prática de cozinhar, mostrando que o professor precisa diversificar sua prática, promovendo atividades fora do ambiente escolar. 
c) Na prática pedagógica, é importante estabelecer atividades que relacionem com o cotidiano dos alunos, utilizando receitas familiares e atraentes. 
d) Com o objetivo de criar “espaços inovadores”, cabe aos professores utilizarem com frequência todo o espaço escolar.

Questão 19. Prova: Professor Educação - Instituto Federal Fluminense
Paulo Freire, em Pedagogia da Autonomia (1999), desenvolveu uma temática rica sobre a formação dos professores, defendendo reflexões a respeito de uma prática dialógica como uma exigência de humanização docente. Para tal, o professor deve 
a) dominar o conteúdo. 
b) manter um bom nível de avaliação entre os alunos. 
c) desenvolver uma docência crítica. 
d) criar um ambiente agradável e sem conflito. 
e) alcançar alto padrão de produtividade dos seus alunos.

Questão 20. Prova: Professor - PMA/MG 2011 (Fundep)
Na perspectiva da Pedagogia da Autonomia (Paulo Freire), ensinar exige dos educadores alguns saberes fundamentais, dentre os quais NÃO se inclui: 
a) Exercício de curiosidade. 
b) Intransigência intelectual. 
c) Liberdade e autoridade. 
d) Rigorosidade científica.

Questão 21. Prova: INDEC - Prefeitura Municipal de Altinópolis – SP. PEB -I Ensino Fundamental
Assinale a alternativa falsa, de acordo com Paulo Freire, em “Pedagogia da autonomia”:
a. ( ) Não podemos nos assumir como sujeitos da procura, da decisão, da ruptura, da opção, como sujeitos históricos, transformadores, a não ser assumindo-nos como sujeitos éticos.
b. ( ) O sujeito ético não está permanentemente exposto à transgressão da ética, que é uma possibilidade, mas não uma virtude.
c. ( ) A ética universal do ser humano é a ética enquanto marca da natureza humana, enquanto algo absolutamente indispensável à convivência humana.
d. ( ) Mais do que um ser do mundo, o ser humano tornou-se uma presença no mundo, com o mundo e com os outros, presença que, reconhecendo a outra presença como um “não-eu”, se reconhece como “si própria”

GABARITO
01. B
02. B
03. A
04. D
05. E
06. B
07. D
08. D
09. D
10. A
11. D
12. A
13. B
14. B
15. E
16. D
17. C
18. A
19. C
20. A
21. B

Nenhum comentário: