sexta-feira, 4 de setembro de 2015

História de Barra Bonita, São Paulo – SP

Histórico do Município: Barra Bonita, São Paulo – SP
Gentílico: barra-bonitense

A região foi explorada desde o bandeirantismo, na época que desciam o rio Tietê, em direção ao oeste, mas a colonização efetiva somente teve início entre os anos de 1883 e 1886, quando o Coronel José de Salles Leme, o Nhonhô de Salles, procedeu o desmatamento para cultivo de café e criação de gado, introduzindo grande número de imigrantes italianos. 

Salles Leme, em sociedade com o Major João Batista Pompeu, abriu uma casa comercial e, auxiliados por Salvador de Toledo Pizza e Ezequiel Otero, entre outros, promoveram a formação do povoado, junto à barra do córrego afluente do Tietê, de grande beleza, posteriormente denominado Córrego Barra Bonita, originando, também, o nome do povoado. 

A travessia do rio, entretanto, era difícil, de forma tal que o aglomerado surgido na margem oposta somente pode ser integrado a Barra Bonita, em 1915, quando Manuel Ferraz de Campos Salles, proprietário de terras no local e então Presidente da República, construiu a ponte ligando as duas partes. 

Apesar da Estrada de Ferro Barra Bonita ter entrado em atividade na década de 1920, o desenvolvimento do Município(criado em 1906) somente ocorreu vinte anos depois, com novos loteamentos, melhoramentos públicos, instalação de pequenas indústrias e cultura da cana-de-açúcar que possibilitou uma grande demanda de mão-de-obra. 

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Barra Bonita, por Lei Estadual nº 459, de 26 de novembro de 1896, no Município de Jau . 
Sendo sua Sede elevado à categoria de vila pela Lei de nº 1038, de 19 de dezembro de 1906. 
Segundo a divisão administrativa do Brasil referente ao ano de 1911, o mencionado Distrito pertence ao Município de jaú. 
Elevado à categoria de município com a denominação de Barra Bonita, por Lei Estadual nº 1338, de 14 de dezembro de 1912, desmembrado de Jaú. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificou­-se no dia 08 de março de 1913. 
Na divisão administrativa referente ao ano de 1933 e nas territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII­ 1937, bem como no quadro anexo ao Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Barra Bonita figura, unicamente, como Distrito Sede. 
De acordo com o quadro fixado pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, para vigorar no quinquênio 1939-1943, Barra Bonita adquiriu para o Distrito deste nome, o território do extinto Distrito de Igaraçu, do Município de São Manuel. Assim por força do citado Decreto, o Município de Barra Bonita permanece com um único Distrito, - Barra Bonita, - o qual se compõe de duas zonas, denominadas Barra Bonita e Igaraçu. 
Pelo Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro da divisão territorial administrativo-judiciária do Estado de São Paulo, vigente em 1945-1948, o Município continua composto do único Distrito de Barra Bonita; apenas as zonas Distritais Barra Bonita e Igaraçu, em que o mesmo se subdividia, passaram a denominar-se 1º e 2º Subdistritos, respectivamente. 
Em divisão territorial datada de 01-VII-1960, o município é constituído do Distrito Sede. 
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.

Fonte: Biblioteca do IBGE.

História de Alto Alegre, Roraima - RR

Histórico do Município: Alto Alegre, Roraima - RR
Gentílico: alto-alegrense

Nasceu do pioneirismo do maranhense Pedro Costa, o qual buscou áreas agricultáveis no interior do município para trabalhar e as encontrou na Mata geral, local que começa na margem esquerda do rio Mucajaí. 

O topônimo foi escolhido devido ao fato de Pedro Costa, juntamente com alguns companheiros, ter se estabelecido no campo de Alto Alegre.

Formação Administrativa
Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Alto Alegre, pela Lei Federal n.º 7.009, de 01-07-1982, desmembrado do município de Boa Vista. Sede no atual distrito de Alto Alegre (ex-Colônia de Alto Alegre). Constituído do distrito sede. Instalado em 13-07-1982. 
Em divisão territorial datada de 1988, o município é constituído do distrito sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2009.

Fonte: Biblioteca do IBGE.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Máquinas Térmicas, Revolução Industrial e Movimentos Sociais do século XIX

Entenda como foram organizadas as primeiras metrópoles industriais, como funciona o seu carro, , o conceito de Mais Valia e a relação entre esses 3 temas.




Quadrinhos, Nacionalismo e Bombas Atômicas

Saudações geográficas... Neste vídeo Breno, David e Guilherme nos mostram a relação entre os Quadrinhos, o conceito de Estado e nação e o processo de fissão nuclear.


História de Bariri , São Paulo – SP

Histórico do Município: Bariri , São Paulo – SP
Gentílico: baririense

As terras entre os rios Tietê e Jacaré-Pipira, quase na sua confluência, como parte dos Campos de Araraquara, desde o século XVIII eram frequentadas pelos bandeirantes por constituir ponto de passagem nas penetrações nos sertões de Goiás e Mato Grosso.

Em 1833, José Antônio de Lima e seu cunhado, Álvaro Corrêa Arnau, tomaram posse desse território. 

José Antônio de Lima ficou com a área banhada pelos ribeirões Sapé e Palmital até o rio Tietê, onde instalou a sua sede , a qual chamou de Sítio do Tietê, que passou a ser o núcleo do Bairro do Tietê. 
Com a chegada de João Leme da Rosa em 1858, que tomando posse de gleba no Bairro do Tietê, fez doação de 30 alqueires de terras para construção de uma capela em louvor a Nossa Senhora das Dores. 

Novos moradores foram se fixando em torno da capela, nos lotes vendidos por Leme da Rosa, provocando o desenvolvimento do núcleo que passou a se chamar "Nossa Senhora das Dores do Sapé", mais tarde, Sapé do Jair 

Em 1877 com a eleição de Antônio José de Carvalho como representante de Sapé na Câmara de Jair, tornou-se possível a elevação a Distrito de Paz, e em junho de 1890, à Freguesia, com o nome de Bariri. 

Bariri, no tupi, é corruptela de "mboê-riri", que significa ö que corre e se agita, ou corredeira (Theodoro Sampaio). 

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Nossa Senhora das Dores do Sapé, por Lei Provincial no 30, de 07 de maio de 1877,no Município de Jaú. 
Elevado à categoria de vila com a denominação de Bariri, por Decreto-lei no 60-A, de 16 de junho de 1890, desmembrado de Jaú. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificou-se no dia 12 de julho de 1891. 
Cidade, por Lei Estadual nº 1038, de 19 de dezembro de 1906. 
Na divisão administrativa do Brasil, referente ao ano de 1911, o Município de Bariri figura com um só Distrito Sede, Bariri. 
Segundo a divisão administrativa referente ao ano de 1943, bem como as territoriais datadas de 31­XII-1936 e 31-XII-1937 e, ainda, o quadro anexo ao Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Bariri se compõe dos Distritos de Bariri e Itaju, sendo mantida essa situação pelo Decreto Estadual nº. 9775, de 30 de novembro de 1938, que fixou o quadro territorial em vigor no qüinqüênio 1939-1943. 
Pelo Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro da divisão territorial administrativo-judiciária do Estado de São Paulo, para vigorar em 1945-1948, Bariri perdeu parte do território do Distrito da Sede para o de Bocaina, do município deste nome, permanecendo, porém, Constituído pelos Distritos de Bariri e Itaju. 
Lei Estadual nº 2456, de 30 de dezembro de 1953, desmembra do Município de Bariri o Distrito de Itaju. 
Em divisão territorial datada de 01-VII-1960, o município é constituído do Distrito Sede. 
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.

Fonte: Biblioteca do IBGE.